Acredito que esses "12 mandamentos" nos ajudam a Aprender a Ensinar e a Ensinar a Aprender.

(esse texto foi inspirado nas 10 verdades em que o google acredita)

1. Concentre-se no estudo e tudo mais virá.

O comprometimento com o aprendizado deve ser o nosso objetivo final. Estudar, Estudar, Estudar. Sejamos um eterno estudante, mesmo enquanto pesquisador, mesmo enquanto professor. Os degraus que percorremos, em nossa vida acadêmica, são complementares e não excludentes. Um pesquisador é pesquisador e estudante. Um professor pesquisador é professor, pesquisador e estudante.

2. É melhor aprender algo realmente bem.

Ne educação, muitas vezes, menos é mais. O foco deve ser a qualidade (e profundidade) ao invés da quantidade (e superficialidade). Ensinar/estudar muito conteúdo, de forma rápida, é ficar na superfície. O novo deve ser valorizado e o antigo deve ser resumido, sem distrações desnecessárias. Uma notação simplificada é melhor do que rebuscada.

3. Devagar é melhor que rápido.

O conhecimento é valioso e refletir sobre ele é o caminho mais adequado para compreendermos um assunto de forma profunda e permanente. Devagar é um conceito relativo e, por isso, deve ser adaptado a cada caso.

4. Nada é difícil, se for bem explicado.

Passos intermediários são essenciais. É um teste para o entendimento de ambas as partes.

5. Definir é Preciso.

A linguagem vem antes e, por isso, os termos e jargões científicos devem ser definidos de forma precisa.

6. A soma do todo é muito maior do que a soma das partes.

Pessoas juntas pensam melhor do que pessoas isoladas. Colabore, interaja, pergunte, procure parceiros. Use as tecnologias, já não existe mais barreiras geográficas (faz tempo!).

7. É possível fazer o bem.

Podemos, sim, ser um empreendedor social na área acadêmica. Por exemplo, ensinando uma pessoa não especializada (e interessada) a tornar-se um pesquisador em um tempo muito menor do que levamos. Esta é a essência anímica de se fazer o bem, de forma global e em sua plenitude.

8. Sempre haverá ideias para o Nobel.

As informações aumentam de forma exponencial. O mundo científico está cheio de conexões ainda não exploradas, disponíveis com o conhecimento que já possuímos. Estudar, pesquisar e fazer mapas conceituais para interligar conceitos é um ótimo começo.

9. Foco e disciplina são fundamentais.

A Física é fascinante! Ao mesmo tempo que isso é bom, pode ser ruim também, se não tivermos foco. É importante escolhermos a área do conhecimento que está em consonância com nossas habilidades inerentes. A disciplina alimenta o foco e o foco, por sua vez, nos orienta em nossas decisões.

10. É possível aprender o conceito antes da matemática.

Ler livros e textos de divulgação científica antes de estudar o assunto de forma técnica corrobora o aprendizado e amplia a compreensão. No entanto, lembre-se que é fundamental dominar a matemática. Uma ideia sem matemática tem pouco valor.

11. Estudar é prazeroso.

Sim, estudar pode proporcionar os mais belos deleites intelectuais da mente, quando realizado de forma adequada e precisa. Reflita sobre isso e sobre o seu método de estudo.

12. Humildade sempre.

Toda pessoa que estuda sabe que quanto mais estudamos, mais sabemos quão ínfimo é o nosso conhecimento, frente ao todo. Devemos ter a mente sempre aberta ao novo paradigma, perguntar aquilo que não sabemos e usar a palavra "acho" quando não tivermos certeza.